17 dezembro 2005

Regrinhas básicas rumo a felicidade...

Admire a lua...
Sonhe com ela...
Mas não queira trazê-la para a Terra.
Curta o sol...
E deixe-se acariciar por ele...
Mas lembre-se que o seu calor é para todos.
Descubra-se todos os dias...
Deixe-se levar pelas vontades...
Mas não enlouqueça por elas.
Procure, sempre o fim de uma história...
Seja ela qual for.
Abasteça seu coração de fé...
Não a perca nunca.
Mergulhe de cabeça nos seus desejos...
E satisfaça-os.
Procure os seus caminhos...
Mas não magoe ninguém nessa procura.
Arrependa-se...
E Volte atrás...
Peça perdão!
Alague seu coração de esperanças...
Mas não deixe que ele se afogue nelas.
Se achar que precisa voltar
Volte!
Se perceber que precisa seguir...
Siga!
Se estiver tudo errado...
Comece novamente.
Se estiver tudo certo...
Continue.
Se sentir saudades...
Mate-as.
Se perder um amor...
Não se perca!
Se achá-lo...
Segure-o!


Boas Festas!!!

03 dezembro 2005

Uma promessa esquecida...

Quando começou a escurecer, um vento frio e cortante começou a soprar nas encostas. Juntamente com as frias rajadas, vinham nevascas e cortantes cristais de gelo. Já não se via mais o quente sol da tarde e as encostas das montanhas estavam escuras e geladas, na verdade, perigosas.

Perdidas no ruído do vento uivante, duas pequenas vozes se ouviam :

* "P... P... P... Puxa, está realmente frio h... hoje ! "
* "Se ficar mais frio podemos até morrer. Podemos morrer congelados neste mesmo lugar ! "
* Sinto que minhas unhas estão congeladas nos meus pés. Se tivéssemos feito um ninho, à tarde, em vez de brincar o dia todo ... Oh ! está tão f ... frio !!!"

Essas vozes eram de dois passarinhos que, como duas bolas de penugem, aconchegavam-se no galho de uma velha árvore curtida pelo tempo, no alto da cordilheira do Himalaia.

Na altitude em que viviam, a neve dificilmente deixava a terra, mesmo em pleno verão. E durante o dia, quando o sol aparecia, esquentava tão pouco que quase não se percebia. Esse era o problema deles. Eles juravam fazer um ninho para afastar o terrível frio da noite, mas esqueciam as promessas durante o dia e esvoaçavam à procura de comida, cochilavam um pouco e brincavam sob a luz e o calor do sol. Agora, estavam amargamente arrependidos da tolice que fizeram.

* "A ... Acho que v ... vamos morrer desta vez. O f ... frio é demais. Vamos m ... morrer ..."
* "Quando o sol vier, vamos fazer um ninho. Está Bem ? D ... Desta vez não vamos esquecer, p ... pela nossa vida. "

Na realidade, era tão grande o frio naquela noite, que eles não conseguiram nem dormir. Durante a noite toda, choraram e se queixaram, prometendo fazer um ninho logo que o sol nascesse. A noite parecia durar séculos e séculos, enquanto o frio penetrava em seus ossos.

Não faltava muito para darem o último suspiro. Suas vozes enfraqueceram e os corpos caíram, ficando dependurados pelos pés que se congelaram no galho.

* "Oh! ... Estamos ... m ... morrendo ! "
* "Logo ... que ... o ... s ... sol ... ... "

Exatamente quando parecia tarde demais, um raio dourado refletiu-se na face congelada de um penhasco e atingiu uma agulha de gelo dependurada do bico do pássaro macho. O cortante frio deve ter feito seus olhos lacrimejarem e congelado a lágrima antes que pudesse cair.

No começo não se mexeu, mas depois abriu lentamente os olhos para uma última visão neste mundo. Quando avistou o feixe dourado da luz do sol, gritou repentinamente e sacudiu-se para tirar o gelo preso nas penas.

* "É o sol ! Acorde ! É o sol ! ... "
* "É verdade ? Então não vamos morrer ! "
* "Oh ! Como é maravilhoso sentir a vida ! "

Seguramente, o sol subiu aos poucos pelos picos gelados das montanhas e lentamente os dois pássaros começaram a sentir o calor aquecer suas penas congeladas.

* "Ah ! ... O sol está tão bom. Acho que vou dormir um pouco. Não conseguimos dormir a noite inteira. "
* "Mas, ... e o ninho ? Conseguiremos terminá-lo se dormirmos ? "
* "Não se preocupe com isso. Teremos muito tempo depois de dormirmos e comermos um pouco. "

Assim, eles dormiram e comeram, apreciando o calor do dia. Voando pelos céus, o pássaro macho cantava :

"No conforto dos céus, nas minhas asas e canção
Quando se cansar pode sempre repousar
A vida é tão curta e o dia é longo
Quem precisa ter pressa para fazer o ninho ? "

Eles continuaram a brincar por várias horas até perceberem que estava começando a ficar frio. Eles olharam para o sol e perceberam horrorizados que ele estava começando a se pôr no oeste. Perceberam repentinamente que não havia mais tempo para construir o ninho antes
de escurecer. Com olhares preocupados, desceram do céu e pousaram num galho. Depois de uma pausa, o pássaro olhou para a esposa e disse com um sorriso disfarçado :

* "Bem, o sol está baixando e, mesmo que comecemos, não há tempo para terminar o ninho. Vamos aproveitar o resto do sol. "

Assim, eles esbanjaram o resto do dia. Não demorou muito para ficar frio outra vez.

* "P ... P ... P ... Puxa, está realmente frio h ... hoje ... ! "
* "Está ainda mais f ... frio que ontem ! "
* "Se esfriar mais não v ... vamos v ... viver até amanhã. Oh ! ...está tão f ... frio ! "

E assim, caros amigos, os dois pássaros viveram o resto de suas vidas, desperdiçando totalmente os dias e sofrendo durante as noites.

18 novembro 2005

A Conquista e os Obstáculos

Toda conquista valiosa normalmente só é alcançada depois de ultrapassarmos obstáculos e barreiras em nosso caminho.
A maneira de lidarmos com esses problemas determinará o nosso sucesso ou fracasso. Há quatro maneiras típicas de lidar com problemas; duas delas levam ao fracasso certo; uma delas torna o sucesso mais difícil, mas ainda possível, e a última, ao sucesso definitivo.
A primeira maneira de reagir a um obstáculo é permitir que ele nos faça retroceder. Esse caminho conduz ao fracasso e revela falta de coragem e determinação, o que é necessário para o sucesso de qualquer empreendimento.
A segunda maneira é deixar que o obstáculo nos detenha. Pode ser que não fujamos ou retrocedamos, mas também não avançamos. Se permitirmos que os obstáculos nos detenham, estamos perpetuamente derrotados e frustrados, mesmo que continuemos agarrados aos nossos sonhos.
A terceira maneira de lidarmos com um obstáculo com que nos deparamos exige uma mudança de planos, desde que esta seja a melhor opção. Uma simples mudança de planos ainda pode permitir que prossigamos até o sucesso final, mas se deixarmos que os obstáculos mudem o nosso percurso facilmente, as possibilidades de sucesso ficarão muito reduzidas. Saber quando mudar o nosso plano requer muita sabedoria. Às vezes, para alcançarmos o sucesso, devemos deixar a sabedoria prevalecer sobre a coragem e a determinação. A determinação e a coragem são essenciais, mas devem ser controladas pela inteligência.
A quarta maneira de lidarmos com um obstáculo é superá-lo, tirando-o do nosso caminho em vez de permitir que ele nos tire do caminho.
Esta é em geral a melhor maneira de lidar com um problema, e por isso deve ser nossa primeira abordagem. Mas geralmente o ser humano a usa por último. Uma pena...

16 novembro 2005

Conversa de criança...

Rosana que me contou essa:
Quando eu era criança, entre meus cinco e seis anos, lembro que quando meu pai falava em praia, eu pensava...
A praia é no céu, pois é azul e tem ondas de nuvens, e quando vamos prá lá, tem uma subida enorme.
Rssssssss, ótima comparação.
Crianças...

"É muito simples: só se vê bem com o coração. O essencial é invisível para os olhos. Os homens esqueceram essa verdade, disse a raposa. Mas tu não a deves esquecer. Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas." (Antoine de Saint-Exupéry)

09 novembro 2005

Quem é vivo... ops... Viva!!!

Isso sim que é mudança de verdade...
E o resultado do Beta HCG foi:

Oi...
Eu estava realmente precisando descansar das últimas descobertas, fiquei alguns dias (poucos, mas valiosos) fora da vida que eu levo aqui em SP, longe dessa única cidade no estado onde todos os paulistanos pegam aviões para ir ao exterior, e que mesmo assim insistem em chamar de fim de mundo +_+.
Enfim, fiquei alguns dias fora da minha vida habitual, vendo coisas novas e conhecendo pessoas cultas, inteligentes e educadas.
Fiquei longe de internet, longe do msn, orkut, blog, caixas de e-mail e descobri que muitas coisas daqui realmente não valem mais a pena. Como por exemplo, fazer da internet um tipo de suicídio em doses homeopáticas (era o que eu fazia) e continuar com essa vida na frente de um monitor e de um teclado não está sendo mais tão empolgante quanto parecia no começo de tudo, a pelo menos seis anos atrás.
Pelo menos as pessoas com as quais eu me importo e as que se importam comigo de verdade têm outras formas de contato comigo, depois de seis anos decidi assassinar a 'gata malcriada', e todos os seus derivados e variações do mundo cibernético.
Algumas poucas coisas valeram a pena nesse mundo, dentre elas o blog que manterei apenas por gostar realmente de escrever (não mais sobre minha vida, mas sobre a vida do homem, do ser humano e toda sua arte de fingir e se esconder atrás de seus medos).
Esses dias em que permaneci longe, ao voltar notei no orkut algumas coisas às quais fazia 'vista grossa' vários recados automáticos (spam's) de pessoas que só se importam em ver o seu próprio número de scraps aumentando com agradecimentos das mensagens automáticas.
Sinceramente???
Prefiro um simples: "oi, estou com saudades" ou "tudo bom com vc?" e até mesmo os "bons dias e boas noites" simples mas sinceros. E é assim que sei quem realmente tem respeito e consideração comigo.
Tenho lido alguns livros, dentre eles "Fênix - do Daniel Carvalho Luz (autor do famoso Insight)" e "A carícia essêncial - de Roberto Shinyashiki".
Tenho ouvido músicas que não fazem parte do meu cotidiano em SP.
Entre esses dias fora, voltei a SP dia 02/11 para ir até o Jd. da Represa (SBC) fazer uma visita a uma tia enferma (cancêr - estômago e garganta) e com o aumento na fragilidade da mesma, irei voltar com freqüencia até S. Bernardo, visto que os filhos trabalham durante a semana e como todos são de natureza humilde, não podem pagar uma enfermeira para tratar dela em casa.
Apesar de hoje não me sentir confortável na cidade em que nasci, topei um tour com meu primo e conheci toda a região e bairros vizinhos.
A tarde depois de muita despedida calorosa por parte dos meus queridos, peguei a estrada com meu pai novamente, mas dessa vez, fiz um caminho diferente, convenci meu pai a dar-me a direção do carro e descemos pela imigrantes até a rio-santos e vim margeando as paisagens.
Já haviam me contado da beleza do caminho, porém, como ando meio incrédula fiz questão de verificar pessoalmente. E realmente, é uma belezinha de paisagem, vale a pena conferir.
Bom, mudando de assunto, aqui em SP surgiram duas oportunidades de trabalho e no litoral, surgiram três, menos favoráveis financeiramente falando, porém, quem mesmo precisa de muito dinheiro para ser feliz? Prá mim, morar perto do mar e junto a muita natureza já virou um projeto (projeto mesmo, não enganação, ilusão ou fantasia).
Além disso, trabalharei até janeiro apenas, assim terei dinheiro suficiente para sobreviver até junho de 2006.
Sobre coisas que vi:
Sem o DVD, o vídeo e meu rádio portátil, tenho ouvido músicas no computador e assistido (pasmém!!!) novelas! Ridículo eu admito, ainda mais vindo de mim... Mas,
Não chamem o psiquiatra ainda!
Meu pai se irritou comigo por eu criticar cada cena do último capítulo da novela das 20:00hs (que começa às 21:00hs) da Globo. E pediu solenemente:
-Cala a boca (???), minha filha...
Vi várias cenas que só em novelas mesmo, acabei reforçando minha tese do ódio à tv aberta.
Sobre o que tenho sentindo:
Descobri que sou uma pessoa extremamente educada e tranqüila (e controlada, rsssssss) e dia 03/11 retribui um favor que me prestaram no meu aniversário (boa etiqueta é tudo!!!).
Me vi fazendo coisas que normalmente não faço (e quando digo que 'normalmente não faço' é porque não faço nunca):
-A primeira - esfregar panelas da pia até que elas virem espelhos (minhas unhas sofreram um bocado).
-A segunda - me peguei uma noite comendo pão dourado na frigideira com margarina e calda de sorvete sabor morango (estava incrível e ridículamente delicioso o negócio).
-A terceira - Cara! Eu soltei veneno, rssssssssssssss, fiz um comentário maldoso e gratuito sobre uma "persona non grata", sobre um desafeto, com um amigo (Agora sim, chamem o psiquiatra que é caso de perda total, rssssssss).
O que tenho ouvido:
Muita MPB. muito forró universitário, muito reggae, durante o dia. Muito black e muita música baiana durante a noite. E descobri um grupo de adolescentes chamado Huckapoo, amei a primeira vista... digo, a primeira ouvida... no final tem a letra da música (que é desse grupo) que tá tocando agora de fundo.
Existem dias ou tardes na beira da praia em que fui importunada por duas ou três vezes pelo menos. A resposta era como um botãozinho ligado no automático: "vim curtir o mar, obrigada..." Calma, tranqüila e serena...
Por um aldo foi um bom sinal, me enche de vaidade afinal, a quase um mês atrás eu me sentia um lixo, gorda, horrível, enfim, a pior das mulheres, e agora (como diria o Dico) "essa loirinha tá podendo, gente!!!" rssssssssssssss.
Ahhhhhhhh, amenidades e coisas supérfluas:
Não posso mais clarear as madeixas por tempo indeterminado (hein?), essa loirinha que vos escreve vai deixar o cabelo da cor natural (socorro!!! ruiva...), mas é por uma causa politicamente correta...
Amenidades II:
Óbvio que meus planos de virada de ano foram por água abaixo no último mês, porém tratei logo de convidar pessoas legais para vir me fazer companhia e agora estou parecendo uma criança esperando a vinda de papai noel no natal, esperando pelo ano novo; "menino do rio, calor que provoca arrepio..."
Alguém avisa essa blogueira prá ela parar de escrever?! rssssssssss...
É despedida dos meus feitos, pelo menos por um tempo. A partir do próximo capítulo.... ahnnnnn, post, não falarei mais de minha vida. Mas de máscaras (ah! por isso que eu abuso de linhas!!!). Só que mais doido ainda quem veio aqui e leu tudo isso até agora só prá ver a resposta do meu teste de gravidez... Bom: deu &*#%tivo...
Ahhhhhhhhhhhhhhh... Quem tiver interesse em saber, me pergunte né...
Beijos...

Huckapoo
I Should Have Said That I Love You

I can't believe that you're gone.
You're the only thing I need in my life.
Now I'm finding it hard just to sleep at night.
Since you told me, you won't stay by my side.
Why did I let you turn and walk out that door?
I know why you're saying goodbye.
Baby, I should have said I love you.
I should have said that I do love you too.
Boy you know I was scared
To say that I cared
But I know I do,
I should have said I love you
I still feel your kiss on my lips,
I remember the sweet look in your eyes,
When you whispered the words,
Baby, I love you
You know you froze me,
I was hit by surprise
Why did I let you turn and walk out that door?
I know I'm not afraid anymore.
Baby, I should have said I love you.
I should have said that I do love you too.
Boy you know
I wasscared (Boy you know I was scared)
To say that I cared But I know I do,
I should have said I love you Baby,
I should have said I love you.
I should have said that I do love you too.
Boy you know
I wasscared (Boy you know I was scared)
To say that I cared But I know I do,
I should have said I love you
I should have said I love you. (I love you)
I should have said that I do love you too.
(Boy you know) Boy youknow I was scared (Boy you know I was scared)
To say that I cared But I know I do,
I should have said I love you.

26 outubro 2005

Pouca coisa, muito barulho...

Como eu poderia dizer, ou melhor, descrever como me sinto hoje...
Eu decidi viver... Fiz essa escolha em janeiro desse ano qdo o médico me disse que "tinha" um sério problema de saúde. Fiz essa escolha e escondi de todos da minha família, dos "amigos" que convivem comigo... Posso dizer que passei essa fase sozinha e consegui superar e vencer até certo ponto o meu problema de saúde.
Novamente me vejo numa situação parecida.
E novamente optei pela vida, sei que só terei uma resposta 100% depois do feriado que é quando eu volto de viagem, mas acredito que duas caixinhas diferentes de farmácia que me disseram sim e meus sintomas já são mais que suficientes para eu saber; e pelo menos enquanto der, vou novamente contar apenas com as pessoas "virtu-reais", até pq logo será visível toda mudança que acontecerá, depois disso, não sei bem que rumo tomar... Mas uma coisa é certa, eu novamente optei pela vida, não me importo com o que venham a pensar ou me falar.
Essa vida, já é amada e não sei se terei outra oportunidade...
Só tenho uma dúvida....
Isabela ou Maitê?
Murilo ou Júlio?
Rsssssss...
Té mais

12 outubro 2005

...

Sabe quando vc sente que uma pessoa foi falsa com vc a ponto de te fazer sentir pela primeira vez que se arrependeu de algo que fez???
Pois é, eu cai na ladainha de uma dessas pessoas, e vim aqui prá mostrar toda minha raiva com relação a essa pessoa que por mim, nem precisa se defender...
Não apareça...
Não deixe comentário...
Vc não será uma pessoa bem vinda aqui.... "persona non grata" vc sabe o que é isso né????
Ok, obrigada por fazer eu acreditar um dia que eu era especial, hoje eu me sinto a mais burra e palhaça das mulheres da face da terra e a culpa é sua..
Não, não, a culpa é minha pq acreditei em cada palavra q vc disse.
No último post eu escrevi algo sobre passar do amor ao ódio em segundos, bem, acho que esse é um dos casos... Só que resolvi não ficar calada.
Ahhhhhhh...
Outro recado: dessa vez estou fazendo as coisas certas...
Esse é o último post.
Não tem mais noticias minhas, meu bem...
Fui...

Ela----> estapeando a própria cara: "como vc é burra, palhaça, burra, burra, burra, foi cair pela segunda vez na mesma conversa mole... digno de uma MAGDA mesmo..."

P.S.: por favor, defina a palavra falsidade.
Obrigada

07 outubro 2005

Sem Título

Passei a noite inteira acordada, hora pensando, hora chorando; deve ser a maldita TPM. Eu havia escrito um jornal completo que, devido às circunstâncias atuais, vai sair do rascunho do blog direto para a lixeira, pois decidi não ser mais uma pessoa egoísta.
Óbvio que os últimos acontecimentos tanto no meu “convívio familiar” como em outras áreas têm sido bem fora do comum, mas depois eu trago isso a tona, com os detalhes que o assunto merece ser tratado.
Tem chovido muito nos últimos dias e eu tenho ficado trancada muito tempo em casa.
Fico sentada no sofá da sala, ou em minha cama no quarto, com a Nina deitada em meu colo e com o caderno aberto, o tempo todo, tentando colocar em palavras tudo o que eu tenho sentido, pensado e vivido.
Sinto as palavras faltarem quando penso nas pessoas que por mais que estejam certas em não se dar por inteiro, ficam com um muro em torno de si, deixando um vazio que nem os compromissos sociais, nem o trabalho, nem o estudo e nem o lazer preenchem.
E mais uma vez eu consegui um bloqueio, tenho evitado escrever, só pode ser isso, um bloqueio. Pois eu faço pelo menos cinco xícaras de chá (virei fanática por hortelã), ligo a TV, desligo, ligo o micro sistem, e não tenho paciência pra ficar parada, vendo a vida passar por entre minhas mãos. Já estou a seis dias sem me alimentar direito, uma fruta ou um copo de suco são capazes de me manter em pé o dia todo, e já começo a sentir os efeitos que o Codaten exerce sobre meu corpo e minha mente, o que faz com que as idéias já não fiquem tão claras.
E sobre o que eu falava mesmo? Estou meio fora do ar e acabei mudando o rumo da prosa.
Mais acima eu falava de pessoas que repreendem e sufocam os próprios sentimentos. De doação. De medo. De... Nem sei mais de que...
Sou um exemplo forte, desse tipo de pessoa, e reconheço isso.
Sou uma pessoa rancorosa, capaz de alimentar vinganças e de passar do amor ao ódio em questão de segundos, e manter-me calada sobre sentimentos por meses a fio.
Só que tem algo que é mais forte que eu e que tem conseguido me rasgar por dentro.
A falta de emprego e o tempo ocioso fazem com que eu me torne mais vulnerável, com que eu sinta medo das pessoas.
Sim medo, pois ao contrário de pessoas que vivem rodeadas de gente e quase nunca tem problemas com elas, eu já fui alvo diversas vezes e já sofri horrores por causa de pessoas que julguei serem de confiança.
Decididamente esse post já está longo demais e eu tenho que parar de falar tanta coisa sem sentido e ser mais objetiva.
É isso... por enquanto...

29 setembro 2005

Ausência

Ficarei em off por alguns dias, talvez até por uma ou duas semanas...
Quando voltar farei um resumo de tudo...

Músiquinha prá animar...

Última História

Quando eu fecho os olhos e me sinto enfeitiçada é você em mim
Tão perfeita simetria, onde nasce a fantasia num chão de alecrim
Sou Alice fugitiva num País de Maravilhas, tomei do teu chá
Doce veneno, forte apego, o ponteiro sempre busca o seu par.
Quando eu abro os olhos e me vejo nos teus braços, você me levou
Ao mais puro paraíso, como anjos que caídos do céu desse amor
Somos nuvens passageiras num universo de poeira, nadei no teu mar
Livre o arbítrio, nosso infinito: "você faz meu tempo parar..."
Não é meia-noite nem será a última história
Olha, pra onde eu for
Você faz parte do que eu sou...
Quando acordada, misturada nos lençóis da manhã, sem te ver
Ainda sinto o teu cheiro que ficou na minha pele e a paz de te ter
Somos parte dessa noite em que a gente se fez um, é demais viajar
Longe do óbvio, fora do tempo; te acalento na solidão...
Não é meia-noite e nem será a última história
Olha, pra onde eu for você faz parte do que eu sou
E a razão do meu amor...
Eu vou iluminar o breu do teu céu
Pra poder te ver...
Eu sou a canção do teu carrossel
A canoa do teu papel
Não é o fim do mundo e nem será a última história...
Olha, pra onde eu for você faz parte do que eu sou.
E é pra sempre que você será
A razão dos meus sonhos (sonhos)
Pra despertar
Te perder primeiro então te encontrar
E deixar a eternidade reinar...

All I know, is that we're living in a different world
We are from a different world

19 setembro 2005

Passado-Presente-Futuro

Até certo tempo atrás eu não era o tipo de pessoa que faz planos. Sempre gostei de viver o que acontece hoje e não aceito frases feitas que dizem: "Serve como aprendizado" ou "vai ser melhor pra você".
Tive uma breve conversa com alguém hoje que me falou assim: " tá muito perto kris, se eu fosse você, faria logo o que tem que ser feito" e do nada me peguei pensando em como será minha vida a partir do momento em que eu "fizer o que tem que ser feito..." Acabei dando um suspiro e respondendo:
- Preciso esperar mais uns dias... Só alguns dias... Ainda tenho que "ver" respondidas algumas perguntas.
Seria isso algum indício de que eu ando pensando no futuro???

mudando de assunto:

Eu enviei um e-mail a algum tempo atrás...
Rsssss, sem falsa modéstia, foi "o e-mail"
Mantive-o guardado numa memória virtual e hoje fazendo uma limpeza por aqui, encontrei-o...
Enfim, ai está ele.

Pedido de Desculpa

Hoje eu estou aqui para te pedir desculpas...
Desculpa por não ser quem você queria que eu fosse, por ser tão fraca, desculpa por não conseguir mudar você, por ser apenas mais uma que quer estar ao seu lado...
Desculpa por querer sentir seu abraço, seu cheiro, seu beijo e o seu carinho...
Me desculpa por querer te ajudar, por não ser tão diferente, me desculpa pelas fraquezas, por aquela lágrima que insiste em viver nos meus olhos.
Desculpa o meu coração que bate tão forte quando você está por perto, por ficar mais feliz quando você esta por perto...
Me desculpa por esse jeito de te amar que é tão infantil, por amar o seu mistério, por não me importar com o seu passado e querer apenas viver o presente com você.
Me desculpa pelo dia em que deixei você entrar na minha vida, por não suportar que você vá embora, por não suportar ter que ir embora...
Desculpa por ser louca pelo seu jeito louco de fazer amor, por ser sincera, por demonstrar o que eu sinto.
Me desculpa por ser fascinada pelos seus olhos, por gostar do teu jeitinho moleque, por eu não me importar com o que os outros dizem...
Me desculpa por saber que você é a pessoa mais complicada que eu conheço e mesmo assim deixar você ser a pessoa que me faz sorrir.
Me desculpa por estar pedindo desculpas mesmo sabendo que não tenho porque...
Me desculpa por tudo...

12 setembro 2005

coisas estranhas...

sabe qdo as coisas não parecem mais iguais?
sabe qdo vc acha q tem algo acontecendo e não consegue identificar o q é?
sabe qdo vc sente q tem coisa errada, mas não sabe como ter certeza?
sabe qdo vc quer q seja sério, mas não parece ser?
e sabe qdo vc tem uma vontade imensa de sumir disso tudo, por não saber o quê, quando, como e onde perguntar, e nem sabe se deve...?
eu to sem ter certeza de muita, muita coisa...
e tem outra porção de coisa me incomodando, como se quizesse me contar algo que eu não deveria saber (ou deveria).
vontade de brigar, xingar, ser irônica, chorar....
estranho...

06 setembro 2005

Novidade?

Tá um pé d'água inacreditável (inaceitável eu diria... :\ )
Eu tô resfriada com direito a enxaqueca e febre.
Marquei outra consulta (neuro) para sexta feira (09/09), as 10:30hs da manhã.
Eu tô morrendo de saudades do meu reizinho... :E já tô ficando desbotada...

01 setembro 2005

estou viva...

prometo que amanhã sem falta deixo um post com novidades...
agora tô morrendo de preguiça e com enormes bolhas nos pés esperando por água morna e massagem...
té mais

24 agosto 2005

Só para mim...

Peciso ser mais atenciosa comigo mesma.
O lugar em que eu trabalhava era ótimo sim, mas de uma certa forma eu ficava presa, quase não viajava, não conseguia tempo prá cuidar das minhas vaidades, e o outro lado da moeda me diz: " - ocupava tua cabeça, moça".
Essas últimas semanas tem sido pesadas, mesmo em casa (quando paro em casa) me sinto exausta de fazer nada. : E minha cabeça tem tido os pensamentos mais loucos e confusos, acho que isso que tem me deixado cansada. Minha cabeça não para de trabalhar um só minuto. É uma tortura.
***
Então resolvi...
-Depilação completa com cera (ui) com direito a exfoliação da pele...
-Hidratação nos cabelos
-Exfoliação facial
-Auto massagem (minhas pernas pedem e agradecem)
***
E como tenho "algumas" restrições com horários não comerciais e meu lindo tem restrições com horários comerciais. Resolvi dar uma escapulida para Caraguá, hoje, a noite, assim, de repente...
E na bagagem:
Cremes para os cabelos (no minimo quatro diferentes)
- Cremes para a pele (dois, já está de bom tamanho)
- Várias presilhas e frufrus para prender os cabelos
- Celular (óbvio)
- Quatro revistas (últimas edições da minha assinatura da Nova Cosmopolitan que não tive tempo de ler)
- duas bolsas (me torturando para não levar três, rssss)
- Algumas (tá bom, quase todas) mudas de roupas
- Todos (isso mesmo todos) meus seis pares de biquínis
- Três toalhas de banho
- Uma de praia
- Dois pares de chinelo (33/34 - pezinho de criança)
- Dois pares de sandálias
- Um par de tênis (para andar de bicicleta)
- Alguns batons, gloss, lápis de olhos, delineadores e sombras (afinal a noite é uma criança)
- Uma enorme vontade de mudar o rumo do passeio... e ir embora : \ ...
Bom, é isso. Até a volta.

17 agosto 2005

Quando tudo parecer perdido...

Essa última semana, as coisas em que eu mais tenho pensado são:
não se desespere!
não se desespere!
não se desespere!
...
Não sei bem o motivo, mas tem dado 80% certo, e os 20% que sobraram tendem a querer insistentemente me derrubar. E o mais curioso de tudo é o fato de todas as pessoas que estão de fora dizem: "aproveite, descanse, você é capaz, você vai conseguir resolver". Enquanto naquela "casa", dizem: "você deveria ter ficado quieta e ter aceito a nova tarefa, ao invés de enfrentá-lo (o consultor da empresa em que eu trabalhei por quase um ano)".
Quanta diferença...
Não é atoa que eu não me sinta bem naquele "ambiente familiar", e só de pensar que eu poderei passar a depender financeiramente de todos aqueles novamente, meus 80% de tranqüilidade tendem a dar uma balançada...
Estou pensando seriamente em fugir por uns 10 dias, descansar um pouco do tumulto dos últimos acontecimentos, o único dilema dessa fuga: eu penso em sair para descansar, mas dentro de mim, tem algo dizendo: "vai não, moça..." :(
E tem aquele problema com um amigo que acha de olhar para o meu umbigo em vez de cuidar do próprio... (Mas sabe que esse eu tiro de letra!).
Bom, minhas notícias serão reduzidas ao no máximo duas por semana (como se eu postasse todos os dias, que piada).
Farei o possível para manter as visitas atualizadas, para manter o orkut e meus infinitos emails, tudo em ordem...
Até mais...

10 agosto 2005

Mentira x Omissão...

Acredito que mesmo que alguém tenha feito algo, e que na dúvida se me chatearia ou não, prefira omitir... Sinto informar... Me chateia mais o fato da omissão que o fato de se ter medo de me contar o que fez, o motivo, suas causas e conseqüências.
Omissão relacionada a determinados assuntos: tanto na área afetiva quanto na área financeira, são tratadas por mim como mentira... E por ser assim tratada, é bomba... e explode no meio do peito de quem espera.

Vou tirar uns três dias de férias de internet, do celular também.
Acho que estou adquirindo fobia social...

09 agosto 2005

Gota

Sensibilidade não é igual a fraqueza
É natureza o sentimento
Mas isso não quer dizer que eu tenha que agir a cada emoção
Nem sempre a gente entende o que se passa dentro da própria cabeça
Alguém vem e diz "esqueça de tentar"
Dar nome a toda situação
Desvendar a velha noção do que é ilusão (ou não)
É como a água saber que é uma onda no mar
É como acordar depois de um longo sonho é como a gota saber que faz parte do mar
Poder reconhecer que divisão não há...
Cada momento, segundo, cada hora é preciso viver agora
Como se fosse o último instante
E nada mais...

29 julho 2005

Águias

Eu não consigo mais ter que esconder o quanto dói se toda vez temos que separar.
Secaram todas as lágrimas...
Você tirou de mim o que eu senti, nunca ninguém me amou do jeito que você me quis; ainda é novo para mim

Às vezes fico sonhando num futuro distante estaremos nós? E me dá um nó...
Porque sei que o presente é incerto e ausente e a realidade dói.

Você mudou meu jeito de sentir, tua coragem me fez ver da forma que eu nunca vi.
Iluminou tantas sombras em mim, nunca negou meu jeito de existir.
Pegou no colo a criança abandonada que não podia dormir...

Será que temos a chance de viver nossos sonhos quando amanhecer?
Será que a gente vê o Destino filmando a nossa memória e nos deixar viver?

Somos duas águias no céu a voar.
A voar...
Que procuram na compaixão do vento um galho para pousar.
De encontro ao mar, pra navegar...
Como dois golfinhos seguem rindo da ironia.

Nós conseguimos o raro, duas almas que unem sem deixar de ser.
Sem deixar de ver...
Que nada é eterno, mesmo invencível, o amor há de vencer.

Seguindo o infinito pra voar.
Pra voar...
Procurando na compaixão do vento um campo pra pousar.
Pra mergulhar e voltar às águas mais profundas onde não há o tempo.
Pra separar...

21 julho 2005

Volta, problemas, conflitos...

“A vida que me ensinaram como uma vida normal tinha trabalho, dinheiro, família, filhos e tal, mas era tudo tão perfeito, se tudo fosse só isso; mas isso é menos do que tudo, é menos do que eu preciso...”
Educação Sentimental II – Paula Toller.

Eu não sei bem por onde começar esse post, fiquei dias pensando em como seria colocar tanta coisa prá fora de uma só vez...
Eu vivo comentando por aqui como é difícil manter as aparências de uma ou outra situação. E eu sinto que as coisas estão novamente caminhando pro rumo das aparências. Tem sido doloroso dormir e acordar meses da mesma maneira, mesmo após ele ter re-acontecido e isso ter feito algumas de minhas esperanças (eu ainda as tenho, apesar de poucas) voltarem a tona, tem sido doloroso meu dia a dia.
É como se minhas responsabilidades tivessem triplicado de volume, com isso, triplicando o peso, e, se tornado insustentável. Eu nem sei bem o que eu estou falando. Tudo parece tão confuso que eu me sinto fraca, atordoada...
Me fere profundamente dizer que não tenho uma família, que sou órfã de família viva. Então, enquanto pessoas falam sobre mãe, pai, irmãos, eu falo sobre cor, sabor, tempo, dor; só para não repetir a mesma história que muitas pessoas já sabem e mesmo assim fazem questão de simplificar, de fazer o que eu vivo parecer uma ladainha repetitiva e cansativa.
É um caco pontiagudo de vidro me rasgando a pele ter que repetir as coisas que eu já vivi.
Óbvio que senti e sinto rancor de algumas pessoas que passaram pelo minha vida, fazendo com que eu alimente vinganças absurdas, perfeitamente planejadas. Sinto desprezo por outras que justamente por ter esse sentimento, exclui do meu convivio. Não sou só amarguras. Eu sinto amor também. Principalmente por mim, e luto contra minha própria auto destruição.
Agora que comecei, não sei por onde terminar, não sei se devo terminar, não sei se quero terminar...
Eu poderia ficar aqui escrevendo, detalhando, contando, mas é como eu já mencionei... Acabo me tornando repetitiva.
(Suspiro...)
Acho que estou com sérios problemas, mas do que qualquer comentário dizendo algo parecido com - “você supera!” – possa resolvê-los...

18 julho 2005

Sou da Paz

Contando com a compreensão e colaboração de todos, gostaria de deixar aqui, essa mensagem sobre o caso de Gabriela Prado, a menina assassinada no metrô. Espero que todos vocês leiam com atenção e assinem... É muito importante a colaboração de todos.

A diferença entre o que realmente mobiliza as pessoas e a triste realidade que nos ronda.

Você sabia que o Big Brother 5 teve o número recorde de 36 MILHÕES de ligações pelas quais as pessoas tinham que pagar para votar em desocupados, por pura diversão?

Após QUASE 2 ANOS da morte de Gabriela Prado (a menina assassinada no metrô SÃO FRANCISCO XAVIER, Tijuca, Rio de Janeiro, durante um assalto, em 25.03.2003), a família só conseguiu 950 mil assinaturas das 1,2 milhão necessárias para mudar a lei. Nós podemos dar nossa colaboração, visitando o site, assinando a lista e divulgando aos nossos contatos.

É rápido e não custa nada!
Exercite sua cidadania!

GABRIELA - SOU DA PAZ

Por favor, quem assinar deixe um OK nos comentários.
E por favor, quem puder, divulgue da forma que achar mais fácil.
Obrigada!

12 julho 2005

Convênio Médico...

Dia 20 de Julho eu tenho consulta com o Neurologista, nada de suspeito, apenas para que seja realmente diagnosticada uma enxaqueca que gosta de me atormentar desde quando eu tinha 10 anos...
Costumo brincar com algumas pessoas que os médicos acham que eu tenho cara de doente pq sempre, antes de qualquer apronfundamento, eles costumam me dar um pré diagnóstico de arrasar qualquer ser humano que ama a vida tanto quanto eu (alguém ai se lembra da história da suposta leucemia???)
Enfim... Não há de ser nada, mesmo com a cabeça doendo sensivelmente até com meus passos, mesmo eu sentindo dor até de olhar prá uma parede branca (aqui na sala do escritório, são todas!), sentindo dor freqüentemente e mesmo assim ainda escondendo a dor, eu acredito que não há de ser nada.
Outra coisa que vale lembrar é que eu fico muitíssimo revoltada com o atendimento médico atual, independente do mesmo ser público ou ser um convênio, no pronto socorro o que eu vejo é a mesma coisa, desatenção, descaso, e todos os “dês” que qualquer pessoa possa imaginar.
Lógico que tem mais gente comigo nisso que fica muito fulo da vida, afinal, onde já se viu uma consulta em clínica de convênio ter mais de 15 dias de agendamento já marcado??? Mesmo para alguém que o clínico tenha encaminhado para marcação com “urgência”. Urgência sendo atendida mais de 15 dias após seu pedido, eu não consigo engolir. E enquanto eu reclamo desses médicos (que mais parecem açougueiros), minha dor de cabeça se faz cada vez mais presente. Cheguei a comentar com algumas pessoas o fato de eu ter tido tanta dor no domingo, que isso me fez parar no p.s., e o médico me olhou e simplesmente disse: “é enxaqueca” e sequer me examinou, me fez parar para pensar se seria o caso de eu “realmente” passar mal e devido a dor de cabeça, colocar sangue pela boca ou pelo nariz, pq acredito que só assim começarão a levar à sério minha dor de cabeça... Sim pq entre o trio vômito, desmaio e sangue, só ficou faltando a última acontecer...
Lógico que não vou passar desapercebida no neuro, faço questão de um exame minucioso, não aceitarei apenas uma consulta e um diagnóstico sem exame algum... E eu não ando para brincadeiras.... Geralmente fico nervosa com qualquer coisa mal falada (mal interpretada), e no caso de eu ter lutado tanto prá conseguir uma consulta com o neuro, e ele simplesmente me receitar outro remédio sem me pedir nenhum exame, ahhhhhh, eu cancelo o convênio...
Bommmmmmmmmm... Pelo menos até semana q vem, pretendo esquecer esse maldito convênio!
É isso...

05 julho 2005

Cada um dá o que tem...

Sabe quando não é seu dia?
Pois bem, essa não parece ser minha semana, acredito que por conta das constantes dores de cabeça, ando menos tolerante, mais irritada. Mesmo assim, algumas coisas como essa e como o poema abaixo, ainda me tiram um sorriso do canto da boca...

O futuro
Regido pelo presente
Definido pelo passado
passado que nos parece ingrato
mas não o é
pois foi um presente mal vivido
reclamar o que se perdeu
antes devemos questionar se o tinhamos
posse, poder, controle, desejo, submissão
faces ocultas
incompreendidas, mas anciadas, procuradas
inquietação da carne, luxuria, devaneio
resultado de uma explosão de sentimentos
e sentidos
que se perdem no futuro
que se procura no presente
inconciente no passado.

Deni (o profê...)
02/07/05
durante a aula.
(Verdade, me mandou no mail durante a aula...)
Té mais

28 junho 2005

Ausência - de novo...

Hoje pela manhã no messenger:
Marcela says: ... e se realmente ele quizer ficar comigo, daí sim ele já está ciente que primeiro, tem que perder o medo que tem, ou sei lá que nome isso tem, não é normal, Kris, não é, parece doença, urucubaca...
Ela says: credo Má!!!
Marcela says: é sério, não é normal, parece coisa mandada, e segundo. Ele vai ter que cortar o cordão umbilical
Ela says: ???
Marcela says: é Kris, ta certo que pai e mãe são importantes, mas é só olhar seu exemplo que a gente percebe, que existem pais e pais, e se ele faz tanta questão dos pais, de não largar o conforto que tem na casa deles por ter medo do que vem pela frente, então, que fique com eles, to cansada disso já.
Ela says: Ui!!! Eu não queria estar na pele do David..."
Pra ser sincera, queria estar na pele dela tb não... :( e tenho que concordar com ela em muitos pontos (ou seria em todos?)

Mudando de Assunto:

Ontem eu passei alguns momentos de cão, mas isso não vem ao caso agora e também não vale a pena citar os motivos que por mais que eu ache que são significativos pra mim, pros outros não tem nenhum significado. Digo outros não generalizando, mas apontando pessoas que eu, definitivamente, não queria ter o desprazer de conviver, mas que por muitos motivos eu terei ainda que ver por algum tempo (e espero que não seja por muito)...
Enfim, esses dias de ausência tem sido recheados de coisas tristes, guerras, trabalho, lembranças e saudades, muitas saudades...
Nestes dias, tenho descoberto de maneira muito intensa o que é a saudade. E sentindo também. Não lembro quando nem onde li que a palavra "saudade" é uma das mais difíceis de se definir do mundo. Acho que é a sétima ou oitava. E, se for pensar mesmo em termos de definição formal, fica difícil definir o que é saudade.
Definição formal do Houaiss:
saudade - substantivo feminino
"sentimento mais ou menos melancólico de incompletude, ligado pela memória a situações de privação da presença de alguém ou de algo, de afastamento de um lugar ou de uma coisa, ou à ausência de certas experiências e determinados prazeres já vividos e considerados pela pessoa em causa como um bem desejável"
Para os poetas, compositores, nunca foi difícil definir saudade. Nem pra aqueles que amam. Hoje eu sinto isso. Eu sei definir saudade. É quando seu coração tá pela metade, quando as piadas não tem graça, quando tanto faz se é janeiro ou junho, se tá sol ou tá chovendo. Quando as músicas perdem a melodia, a comida fica sem sal, a água não mata mais a sede. Quando até mesmo chocolate perde a graça.
Estar longe de alguém que se ama é tortura que não desejo a ninguém. Privar-se do carinho de quem te ama dói mais que injeção, mais que martelada no dedo, ou bater o dedinho do pé na beira da cama. Saudade dói mais que palmada de mãe, que cascudo na escola ou puxão de orelha no dia do aniversário. Dói mais que descobrir que Papai Noel não existe, que as nuvens não são de algodão, ou que você não ganhou aquela bicicleta de Natal. Dói tanto quanto a dor inocente de uma criança que é deixada na casa da avó quando os pais vão sair.
Não desejo saudade a ninguém. Se está com saudade de alguém, ou alguém de você, não deixe a situação assim. Para algumas dores aí de cima existem remédios, curas. Para dor de saudade, existe a presença. Para outras, eu não sei se existe.
É isso...
Té mais.

21 junho 2005

Mudanças

Esses últimos dois meses tem sido meio vagos no que diz respeito ao blog. Aliás, algumas coisas mudaram um pouco.
Melhor dizendo, algumas coisas mudaram, nem pouco, nem muito. Ou será que mudaram muito, a ponto de mudar tudo?
Nossa, rssss, se eu não tivesse tanta certeza que indecisão não é uma palavra chave no meu vocabulário, eu diria: quanta indecisão!
Se eu for levar em consideração que algumas decisões foram tomadas antes mesmo dessas mudanças, então estarei levando em conta também que essas mudanças não influenciaram em muitas das minhas decisões.
Porém estaria sendo injusta se dissesse que, grande parte das mudanças que ocorreram nesse período, não fizeram mais decisões serem tomadas.
Enfim, eu estou explicando, explicando e explicando e eu mesma não me compreendo. Mas ta valendo!

Mudando de assunto:

Será que vão me cobrar os direitos autorais se eu usar algumas frases para expressar algumas coisas???
Hummmmmmmmm, tentarei a sorte...

Ridículo: “tenho os pais dela como meus álibis” – by demônio – ocasião: qdo perguntaram se ele não tinha medo que ela descobrisse sobre alguns podres dele.
Trite: “nunca pensei q ele fosse capaz de fazer isso comigo” – by Viviane – ocasião: qdo o namorado que jurava brigar por ela contra tudo e contra todos, a traiu.
Engraçado: “quando e onde quizer” – by Deni – ocasião: qdo escrevi na janela principal do MSN: Quando?
Lindo: “tomara que eu nunca mais deixe de dar o valor que vc tem na minha vida” – by meu Reizinho – ocasião: ahhhhhhh, essa eu num quero escrever não!
Sincero: “porque o pai é careco e gordo e a tchia é loirinha, pequenininha e tem cabelos cacheados iguais aos do anjinho que ganhei da tchia” – by Karollyne – ocasião: qdo indagada pq a “tchia” é mais bonita que o pai.
Interessante: “a reunião é a unica que você não pode mudar, mas as dores, toma um remédinho né? Ta certo que vc deve ser boa de anticorpos, mas não judia dos meninos.” – by Tito – ocasião: qdo ele ficou sabendo que ela teria reunião e estava com dor de cabeça e resfriada.

Bom, acho que é isso, pelo menos por enquanto...
E como teve reivindicação quanto à retirada da música do post anterior (que foi apagado antes mesmo de ser comentado), ai está ela de novo...

A luz que acende o olhar, vem das estrelas no meu coração
Vem de uma força que me fez assim
Vem das palavras, lembranças e flores regadas em mim

O tempo pode mudar, a chuva lava o que já passou
Resta somente o que eu já vivi
Resta somente o que ainda sou

A luz que acende o olhar, vem pelos cantos da imaginação
Vem por caminhos que eu nunca passei
Como se a vida soubesse de sonhos que eu nunca sonhei

Vem do infinito, da estrela cadente, do espelho, da alma, dos filhos da gente,
De algum lugar, só pra iluminar
A força, vem de onde eu venho de tudo que acende
A vida, calada, me olha e entende o que eu sou, tudo que é maior
Vem do amor

A luz que acende o olhar, vem dos romances que viram poesia
Vem quando quer, se quiser, se vier
Vem pra acender e mostrar o amor que a gente não via

Vem como um passe de pura magia
Como se eu visse e jurasse que há tempo já te conhecia

Vem do infinito, da estrela cadente, do espelho, da alma, dos filhos da gente,
De algum lugar, só pra iluminar
A força vem de onde eu venho de tudo que acende
A vida, calada, me olha e entende o que eu sou, tudo que é maior
Vem da luz que acende o olhar,
Vem das histórias que me adormeciam
Vem do que a gente não consegue ver
Vem e me acalma, me traz e me leva
Pra perto de você
E me leva
Mais pra perto de você



A Luz Que Acende O Olhar - Deborah Blando

17 junho 2005

Música

A Luz Que Acende O Olhar - Deborah Blando

A luz que acende o olhar, vem das estrelas no meu coração
vem de uma força que me fez assim
vem das palavras, lembranças e flores regadas em mim

O tempo pode mudar, a chuva lava o que já passou
Resta somente o que eu já vivi, resta somente o que ainda sou

A luz que acende o olhar, vem pelos cantos da imaginação
Vem por caminhos que eu nunca passei
Como se a vida soubesse de sonhos que eu nunca sonhei

Vem do infinito, da estrela cadente, do espelho, da alma, dos filhos da gente,
De algum lugar, só pra iluminar, a força vem de onde eu venho de tudo que acende
A vida, calada, me olha e entende o que eu sou, tudo que é maior
Vem do amor, vem do amor

A luz que acende o olhar, vem dos romances que viram poesia
Vem quando quer, se quiser, se vier, vem pra acender e mostrar o amor que a gente não via

Vem como um passe de pura magia, como se eu visse e jurasse que há tempo já te conhecia

Vem do infinito, da estrela cadente, do espelho, da alma, dos filhos da gente,
De algum lugar, só pra iluminar a força vem de onde eu venho de tudo que acende
A vida, calada, me olha e entende o que eu sou, tudo que é maior
Vem da luz que acende o olhar, vem das histórias que me adormeciam
Vem do que a gente não consegue ver, vem e me acalma, me traz e me leva
Pra perto de você.
E me leva.
Mais pra perto de você

14 junho 2005

Mignon

Olha o q achei sobre meu tamanho mignon aqui

Tem coisa mais mimosa, sexy, frágil e gostosinha q uma mulher baixinha? Gente, parece q Deus as fez com o tamanho exato prá serem maravilhosas e terrivelmente sexies!
Confesso q sou tarado por mulheres altas, mas não consigo deixar de babar quando vejo uma baixinha passando com aquelas roupinhas bem apertadas, bundinha arrebitada e carinha de anjo. Se ela pedir o mundo eu dou o universo de tão bobão q fico. E as coxinhas q as pequetitas tem, não são lindas?
Sei lá, as vezes eu acho q gosto de mulher alta só por teimosia, meu negócio mesmo são as baixinhas!
Tudo nelas parece ser proporcional, sem faltar ou sobrar, formando um conjunto q parece ter sido criado pelo "Papai do Céu" com o único intuito de seduzir os homens!
Mulher pequena é muito pratica até quando estão carentes e querem colinho, já reparou? Basta pegar e colocar prá nanar sem ter q fazer muito esforço, não é?
Até nestes momentos de carência elas não deixam de ser encantadoras. quem consegue resistir a um olhar de cachorrinho faminto q elas fazem quando estão querendo beijinhos e cafunés? Dá até gosto abraçar e sentir aquele corpo mignon, frágil e delicado.
Uma coisa q eu não concordo é com esta fama q elas tem de serem folgadas e invocadas.
Pra falar a verdade, elas não são nem mais calmas ou mais bravas q as outras mulheres, o q acontece é q as pessoas acham q só porque uma mulher é pequena tem q ser boazinha o tempo todo sem nunca querer quebrar a casa toda! Oras, elas tem q ser bravas quando estão nervosas, pois as pessoas não costumam leva-las muito a serio. Gente, não é porque uma mulher tem um metro e meio q ela tem q ser bobinha!
Mulher baixinha beija tão gostoso, não beija? Deve ser algo relacionado com a posição q seus lábios ficam q faz com q o beijo tenha aquele gosto mais quente e gostoso.
Antes de saber como as baixinhas são gostosinhas. eu só tinha namorado mulheres altas, a menor tinha 1,73m. Mas, quando eu vi aquela coisinha linda na minha frente, descobri q estava perdidamente enfeitiçado! Era gostoso de abraçar, pegar no colo, e a gente sempre podia dividir a mesma banheira de hidromassagem do motel. Na hora do sexo, então, era uma maravilha: Eu pegava, jogava pra cima, rolava na cama e fazia um monte de coisas q eram tão difíceis de fazer com as outras, q acho q fiquei mais apaixonado devido a praticidade!
Vocês não sabem como é bom poder pegar uma mulher no colo e joga-la na cama! Isto dá uma sensação de poder indescritível! É a redenção do macho!! Nossa, acho q exagerei um pouco!
Achar q o tamanho de uma mulher vai faze-lo economizar nos momentos em q saírem prá jantar fora, é pura perda de tempo. Tem baixinhas q são ótimas de prato e, o pior, tem um gosto bom pra comida q não é mole, sempre escolhem os pratos melhores e mais caros.
Não sei porque os estilistas só colocam mulheres altas e magras prá desfilar. As baixinhas ficam tão bem com qualquer roupa, q acho até q é sacanagem com elas. Pra falar a verdade, acho q viado só vira estilista prá colocar sua raiva contra as baixinhas prá fora! Ou vocês acham q num país como o nosso, jeito de mulheres com curvas e de média estatura tem algum sentido colocar estas modelos "européias" prá desfilar?
Podem ver, qualquer uma fica bem com quase qualquer roupa. Só não dá prá vestir uma blusa com listras horizontais, amarelas e pretas, senão o pessoal vai achar q é abelha rainha de alguma colméia q resolveu dar umas voltas!
Não importa tanto a idade q elas tenham, se quiserem colocar uns badulaques nos cabelos ou usar umas roupas mais curtas e mais jovens, sempre parecerão bem atraentes.

10 junho 2005

Preciso de um pouco...

Paciência - Lenine

Mesmo quando tudo pede um pouco mais de calma
Até quando o corpo pede um pouco mais de alma
A vida não para
Enquanto o tempo acelera e pede pressa
Eu me recuso faço hora vou na valsa
A vida tão rara
Enquanto todo mundo espera a cura do mal
E a loucura finge que isso tudo é normal
Eu finjo ter paciência
O mundo vai girando cada vez mais veloz
A gente espera do mundo e o mundo espera de nós
Um pouco mais de paciência
Será que é o tempo que me falta pra perceber
Será que temos esse tempo pra perder
E quem quer saber
A vida é tão rara(Tão rara)
Mesmo quando tudo pede um pouco mais de calma
Mesmo quando o corpo pede um pouco mais de alma
Eu sei, a vida não para(a vida não para não)

Será que é tempo que me falta pra perceber
Será que temos esse tempo pra perder
E quem quer saber
A vida é tão rara(tão rara)
Mesmo quando tudo pede um pouco mais de calma
Até quando o corpo pede um pouco mais de alma
Eu sei, a vida não para(a vida não para não...a vida não para)

06 junho 2005

Quando...

Sabe quando não temos o que sonhamos, o que queremos, o que desejamos?
E para completar o clima, ainda temos que agüentar nossa guerra interna, nossas sombras e nossos fantasmas (e encostos).
Revolta, tristeza, angústia, aflição...
Duas mãos apertando o coração...
É mais ou menos isso?!
E mesmo assim, ainda sorrimos, vendemos simpatia (quase que de graça).

E sabe quando temos quase tudo o que queremos?!
Quando temos um bom emprego, quando quem amamos parece nos corresponder, quando estamos saudáveis.
Mas ainda assim a guerra interna continua, ainda cheia de sombras, cheia de fantasmas, rssssss, cheia de encostos...
Cheia de dúvidas...
E quando isso acontece você não consegue se expressar, não consegue conversar, por para fora o que te faz mal, principalmente com a pessoa que deveria saber desses fantasmas, a garganta continua fechada.
As mãos continuam apertando o coração...
Não estou me sentindo bem...
Desculpem...

30 maio 2005

Baile de Máscaras

Noite dessas eu sonhei com um lugar que desconheço...
Não consigo afirmar se o local era um sitio, ou uma fazenda, ou ainda, uma enorme casa com uma área enorme.
Sei que era noite, e que tinha festa...
Parecia coisa de gente de vida feita, de vida boa.
Baile de gala, todos com aquelas clássicas roupas de novela que se passa a um século atrás. Todos, fingindo contentamento, felicidade.
Uma felicidade artificial, absurda.
E todos conversavam animados, o barulho das conversas e gargalhadas se misturava com o barulho da música (com um leve toque de batida eletrônica), o que, no sonho, parecia me deixar irritada, já que, além do barulho ensurdecedor e das risadas irônicas e de mal tom que eu ouvia; todos estavam a caráter, menos eu, estavam todos com roupas de época e; mascaras.
Mascaras de sorrisos amarelos, forçados.
Sorrisos de quem não tem consciência tranqüila para sorrir, ou sorrisos de quem não tem respeito pelo que poucos de nós, pessoas simples e que lutam para viver, chamamos de felicidade.
Durante todo o decorrer da noite, e do sonho, era isso, em qualquer parte que eu fosse daquele lugar, no caso de chegar meio desprendida, desatenta, os mascarados paravam de rir alto e de conversar, mas continuavam a sorrir, e a mostrar, por meio de suas consciências, um sentimento que me deixava sem voz; suas mentes diziam, sempre em voz alta ao meus ouvidos frágeis:
“idiota! como pode ser tão boba?! criatura infeliz, vai morrer tentando se livrar do pesadelo, tentando voltar ao sonho.
Pena que ela não vai conseguir, nós não iremos permitir”, me davam as costas e voltavam a dar gargalhadas e a conversar em voz alta, como se nada tivesse acontecido.
Como se eu não conseguisse ouvir suas consciências conversando, tramando, tentando fazer parecer com que a culpa fosse minha, mesmo eu sabendo que não era.
Essa foi a noite em que eu sonhei com o Baile de Gala.
Um Baile de gente que usa de teatro para esconder a pobreza de espírito que existe em cada uma delas.
Um Baile de Máscaras...

17 maio 2005

Atoa

Às vezes acho q eu deveria ser mais atenciosa, com uma parcela de gente a quem não dou o devido valor.
Às vezes acho que deveria me manter mais calada, e ouvir mais do que falar...
Não sei, não sei...

***FUTILIDADES***
Semana passada vi uma saia numa loja do centro.
Pensei, semana que vem eu a compro...
Ontem fui buscar a dita cuja...
Adivinha...
...
...
...
Não tinha mais meu número...
Então:
Não deixe para amanhã o que você pode fazer hoje...

13 maio 2005

Gulab Song

Cegos de amor
Teus dedos lêem meu zíper:
Decifra-me que te devoro!

Marcelo Marks.

11 maio 2005

Maluquices...

Exemplos de gente maluca:
1º exemplo:
De: deni
Data: 06/05/05 15:15:07
Para: kika
Assunto: saudades
Estou em sampa
E gostaria de te ver
Quando podemos nos falar?
Deni

2º exemplo:
De: José C. Ibrahim
Data: 07/05/05 05:36:41
Para: ela
Oi, princesinha, me amarrei em vc e no seu jeito bem feminino,
e gostaria de conhece-la melhor, posso?
Se houver interesse,me escreva e me add,ok?
Sou jornalista, tenho 49 anos, e resido no est. do RJ,
meu email de contato é: jcibrahim@xxxxx.com
Um beijão no seu coração e tenha um otimo final de semana...
José Carlos
(NINGUÉM MERECE!!! Mas, se um não quizer, tem outros mais que querem ...)

09 maio 2005

*POST EDITADO*
P.S.: Tá! Eu sei que não deveria ficar mexendo onde já tem comentários, mas não resisti...
Sexta feira eu não tava de bem comigo mesma, e percebi que precisava tomar algumas atitudes, mudar, de alguma forma, coisas que eu tinha medo de mudar.
Pois bem, aconteceram duas coisas até agora (10:35hs) que valem a pena serem ditas aqui, afinal, onde mais alguém iria me procurar para saber o que acontece, não é mesmo?
Pois bem, segure a bomba quem for gente o suficiente para tal...
1ª coisa... Houveram quatro block&del no meu msn, dentre as quatro pessoas, aquela que tiver a "sorte" de ter outro meio de contato comigo, fique a disposição... Eu também estarei; rsssss.
2ª coisa... Acho q estou me apaixonando, rsssss, de novo!
Uma pessoa linda, linda.
Que já faz parte da minha vida à algum tempo...
Quem sabe, um dia...

04 maio 2005

Feliz Aniversário

Me pego parada olhando o nada.
Vejo várias coisas dentro desse nada.
Sentimentos que fazem parte do sinônimo e do antônimo da passagem da gente por isso que damos o nome de vida.
Vejo sonho e realidade, bondade e maldade, tristeza e alegria, felicidade e melancolia.
Vejo decisão, indecisão, certeza e incerteza, coragem e medo.
Amor e Ódio.
Vida e Morte.
Olhando o nada vejo coisas incríveis, inacreditavéis, estranhas até.
Mas além de ver, sinto, sinto muito isso tudo, alguns até mais fortes, sendo capaz de sobrepor outros sentimentos, que, mesmo mais fracos, estão aqui, me cutucando, dizendo: "Hey! Eu continuo aqui! Aqui permanecerei!".
Há briga dentro do nada que há em mim.
E eu brigo, e eu luto, e eu estou de luto.
" - Mas justo hoje, moça?"
Sim, justo hoje.
Não sinto prazer algum em comemorar nada.
E a única coisa que me deixa plena nesse dia, é o fato de continuar viva, mesmo ganhando mais idade, mais experiência, mais aprendizado.
Entendeu?
Não?
Tudo bem, eu me entendi e isso é o suficiente

27 abril 2005

PESSOA

Olhar você
E não saber
Que você é a pessoa
Mais linda do mundo
E eu queria alguém
Lá no fundo do coração
Ganhar você
E não querer
É porque eu não quero
Que nada aconteça
Deve ser porque
Eu não ando bem da cabeça
Ou eu já cansei de acreditar
O meu medo é uma coisa assim
Que corre por fora
Entra, vai e volta sem sair
Não,
Não tente me fazer feliz
Eu sei que o amor é bom demais
Mas dói demais sentir...
Você
E não querer
É porque eu não quero
Que nada aconteça
Deve ser porque
Eu não ando bem da cabeça
Ou eu já cansei de acreditar
Ou eu já dancei...
O meu medo é uma coisa assim
Que corre por fora
Entra, vai e volta sem sair
Não tente me fazer feliz
Eu sei que o amor é bom demais
Mas dói demais sentir...

22 abril 2005

Tudo Palhaço

tem blog novo na minha lista,
para quem não conhece, não deixem de ler, é hilário...
só para deixar registrado, acho que tenho imã para esse tipo de homem...

19 abril 2005

Instabilidade

Às vezes me olho no espelho e custo a acreditar que completarei 28 anos...
Acho que tudo está passando tão depressa quanto um punhado de areia fina da praia se escoando de minha mão.
As irmãs: Déo(27) e Mandinha(28) - minhas primas - tiveram bebês, dois meninos, com diferença de um mês de um para o outro.
Lolita (16), passa pelo meu encosto como se nem se lembrasse que eles tiveram um "namoro" por mais de um ano escondidos da minha "família"...
Hoje em dia mal se falam, e meu encosto mal fala com os pais da Lolita, que por sua vez mal falam com ele também...
Para pessoas que só faltavam se derreter em elogios entre si.
Que diferença...
Dois filhos da puta!
E 95% de toda essa "familia" onde nasci.
Se não querem que eu "saiba", poderiam disfarçar melhor, não é?
Desculpe o momento de revolta...
Precisava por para fora, precisava chorar, e nem isso eu consigo...
Ando muitíssimo instável esses últimos dois anos...
Desculpe.

14 abril 2005

E-mail

De: perto_distante
Data: 03/31/05
Para: pekena.menina
Assunto: RE: :)
Kika eu os li, Que bom que leu.
Você escreve bem pra caramba, rancor, esta é a tua característica.
tem um lances que volto pra ler, admiro. Meu consolo é a palavra, acredito que rancor seja uma marca registrada, vc ñ é a 1ª pessoa que me diz isso. Os dois ficaram bons exatamente por esta característica, mas gostei mesmo do segundo, nele, você fala de você somente, ai da show. Estou começando me sentir uma mocinha de dramalhão mexicano, rss, por quê será? Comparando com o teu estilo atual, eu diria que você esta bem mais refinada, nos prende a atenção, descreve as coisas de uma forma clara e objetiva.
muito bom. Rss, sempre fui "curta e grossa" mesmo, ñ gosto de guardar as coisas, fico doente. Agora deixando esta analise critica de lado, me diz uma coisa:
As mulheres amam assim mesmo? De corpo e alma? Ñ é possível. Acredite, sou assim, e conheço poucas assim também, me atrevo a dizer que quem mais amo no mundo sou eu mesma, afinal, se eu ñ tiver amor por mim mesma, ñ terei por ninguém, e mesmo assim, sou capaz de amar uma pessoa sem medidas, exageradamente, sou capaz de passar por algumas situações (qdo digo algumas, ñ inclui traição corporal ou traição por meio de atos ou palavras que me magoem profundamente, disso ñ sou capaz de perdoar) e ainda assim continuar amando, de corpo e alma. A mulherada ñ esta fácil. (agora pense, rss) hoje ñ se deixa uma namorada em casa, vai jogar futebol com os amigos, e diz para um deles: a minha namorada ficou em casa.
Ficou é nada. Oras, direitos iguais, vcs podem ir aos seus encontros com seus amigos, nós mulheres, podemos sair com amigas também. Virou as costas vocês vão para balada, entram em salas de bate papo, dizendo que estão se distraindo, e fica mandando beijinho pra ca, sorrisinho pra lá.
putz, ando inseguro pra caramba. Eu também sou insegura, muito, terrivelmente. Te respondo por mim, Internet, é meio de comunicação, de informação. Como vc já sabe, gosto de escrever, mesmo que depois eu ou alguma pessoa ñ entenda o motivo pelo qual eu escrevi isso ou aquilo. Beijinhos e sorrisinhos acontecem no cotidiano de qualquer ser humano. No telefone, na rua, no prédio, no elevador, no escritório e por quê ñ na internet? Pelo menos eu nunca usei chat's com intenção de arrumar "cacho". Já tenho problemas o suficiente. Rss. Quer saber a verdade, os homens estão assustados com vocês.
ñ sabem se existe mais aquela namorada confidente, amiga, fiel, com quem ele pode se abrir, estamos com medo. Pode apostar, existe sim, o problema é com a escolha de vocês, rss
Até confesso que merecemos, mas vocês estão exagerando. Rss, de novo, digamos que estamos pagando uma dívida antiga. Fazer um simples convite para um cinema é um momento de tensão total, nunca sabemos a resposta.
vocês estão muito ocupadas para nós. E nós, bobas, ficamos nos remoendo sem saber o pq do telefone ñ tocar, de ñ ter um e-mail da caixa de entrada, de ñ receber um SMS dizendo só "oi, bom dia", ñ são apenas vcs que se martirizam.. Rss, tenho que rir de algumas coisas, pois apesar de fazerem sentido, nem sempre combinam comigo. Qto ao fato de estarmos ocupadas, aquilo que falei, questão de escolha. Andam de narizinho empinado, falando "grosso", desdenhando da nossa maneira de agir e gostar, mas acreditam ter o controle da situação. Qdo a corda esta frouxa, vocês puxam, e qdo esta apertada, afrouxam. Ou seja, achou que vai escapar alivia, resolveu? Pisa na cabeça dele de novo..cruz credo. Rsss, seria cômico se ñ fosse trágico, mas vcs agem igual. Fala ai que eu tô errado? Digamos que está generalizando tanto do lado masculino quanto do feminino, rsss Vou te mandar algo que escrevi. Tenho recebido todos e-mail's, já falei que amei todos ñ é? Continue mandando (também uso correntinha no pescoço sem pingente e tenho vários furos na orelha, rss) Beijocas lindona. Viu ai? Vc tb manda beijos pela internet, rss. Beijos prá ti Carlos, cuide-se

11 abril 2005

"Inquietação"

Trago dentro dos olhos essa cor da distância quando o mar e o céu se misturam e há um pouco de mar no céu e há um pouco de céu no mar...
Que mundo imenso o mundo que há no meu olhar
Sinto nos braços ímpetos de ventos que se atiram para longe, sem caminhos, cirandando redemoinhos, cantando pelas montanhas, correndo pelas planícies brincando por sobre o mar.. . Ímpetos de ventos boêmio, sem destino, cirandando, cantando, correndo, brincando, mas sempre a avançar... a avançar... a avançar!
... Sinto o desejo estranho de tocar o além e essa inquietude de quem tudo quer sem procurar ninguém!
Meus pés querem achar caminhos que não findem adivinhados na imaginação,
-caminhos que avancem sempre, como cegos, dobrando a esquina azul dos horizontes sabendo apenas que seguem mas sem saber aonde vão!
Trago as ânsias divinas de um predestinado que se atira ao que outros desconhecem levado por eterno e misterioso anseio...
O que eu quero, não sei.
Não quero o tudo se consigo o tudo e acho sempre que o tudo que consigo vale menos que o pouco que não veio!
Quero sempre o que os olhos adivinham e abandono o que o corpo já sentiu e o que a mão alcançou perto demais, nessa ânsia de saber o que me vem depois, vale mais para mim a emoção que se esboça que toda essa vida que deixei pra trás!
Sinto que no meu Ser há essa mistura estranha de um pedaço de céu, de um punhado de terra e de um pouco de oceano.. .
Há o céu no meu olhar vadio e distraído a inquietação do mar na minha alma de poeta e a terra, no meu sangue ardente de cigano!
Trago as ânsias divinas de um predestinado e esse destino audaz de um incomum!
Nasci para cantar, amar e ser amado ter todos os destinos e não ter nenhum!...
(Poema de J. G. de Araujo Jorge, do livro " AMO ", 1938)
*******************************
Peço desculpas pelo copy&paste que tenho usado constantemente...
Sinal de cabeça vazia (ou seria cabeça cheia?).
Os exames da semana passada mostraram que estou bem, que já não preciso das diálises, fiquei instantaneamente feliz com essa notícia, e assim que tive oportunidade liguei para algumas pessoas para contar a noticia, e para outras contei pelo msn, as pessoas que não vi, ficam sabendo a partir desse momento.
Claro que o médico me alertou que existem chances de recaída, e para um estágio bem pior, mas sei que isso não vai acontecer, pois nunca aceitei o fato de estar doente, e para quem não sabe, logo q fiquei doente, disse ao médico: eu não estou doente.
Ele retrucou: sim, está.
Eu repeti (batendo o punho fechado na mesa): não, não estou.
Ele disse: Minha querida, vc tem q encarar os fatos...
E eu respondi (de novo batendo o punho fechado na mesa): Eu não aceito esse diagnóstico.
E se esse negócio pensa que é mais forte q eu,
pode ter certeza doutor,
não é...
Rsssssss... Enfim, não foi...
Eu venci...
Fui guerreira...
E sei que teimosia (q chamo de persistência) funciona em 99% dos casos...
Bom. É isso...
Té mais...

05 abril 2005

Esperança

Não! A gente não morre quando quer,
Inda quando as tristezas nos consomem.
Há sempre luz no olhar de uma mulher
E sangue oculto na intenção de um homem.
Mesmo que o tempo seja apenas dor
E da desilusão se fique prisioneiro.
Vai-se um amor? Depois vem outro amor
Talvez maior do que o primeiro.
Sonho que se afogou na baixa-mar,
De novo há de erguer, cheio de fé,
Que mesmo sem ninguém o suspeitar,
Volta a encher a maré.
Não penses que jamais hás de achar fundo
Nem que entre as tuas mãos não terás outra mão.
Pode a vida matar o sonho e o sol e o mundo,
Mas não nos mata o coração.
(Poesia de Maria Helena– extraído do livro Concerto a 4 mãos - de JG de Araujo Jorge - 1959 ) *******
Hoje começei diferente...
Primeiro o poema (lindo, lindo!), depois as notícias...
Estou em dívida com as visitas aos blogs...
Prometo que até sexta feira farei uma varredura completa.
Perdoem-me...
*********************
Mudando de assunto:
Amanhã (06 de abril) na parte da manhã farei um exame para contagem de glóbulos...
Por enquanto, tudo bem acredito.
Tirando essa ansiedade que me põe quase maluca, o resto tá sob controle.
Quando eu tiver novidades avisarei.
Se cuidem
Té mais...

30 março 2005

Resposta

Digamos que hoje levei um chacoalhão (ou seriam 2? ou seriam mais?).
Enfim, às vezes tomamos tapas na cara prá poder erguer a cabeça e continuar.
Fui "promovida" novamente aqui no escritório, acredito que fizeram isso para complementar a dispensa da minha púpila, sabendo-se que fiquei decepcionada com a dispensa da mesma, isso é algum tipo de 'mordeu e quer soprar'. Além de ter sido a mim delegado um cargo que exige discrição e responsabilidade.
Enfim, isso é apenas um pouco do que aconteceu esses dias.

****

mudando de assunto...
e respondendo ao mesmo tempo um comentário do post de baixo...

Carlos, eu queria muito, muito mesmo poder conversar contigo, saber suas idéias, pena que aqui na empresa não posso receber ligações pessoais a todo momento (dizem meus superiores que atrapalharia meu desempenho), ligar de casa, está fora de cogitação. Tenho 'bodes espiatórios' por todos os lados, passo cerca de oito horas diárias na frente do computador e por esse motivo fico no email, no msn, no yahoo e no aim. Tanto para uso da empresa quanto pessoal.
Enfim, tive um caso de depressão profunda na minha família também, sofri, vendo minha tia (e madrinha) com uma faca na mão, dizendo que era S. Jorge e que iria matar o dragão com sua espada.
Fiz análise por dois anos, pois desde que eu me entendo por gente, tenho surtos de tristeza, e nunca deixo que as pessoas ao meu redor percebam isso, para todos, vivo sorrindo, de bem com a vida, feliz, nunca tive uma resposta que me tivesse deixado satisfeita nas análises. Abandonei.
Como tenho convênio médico pago pela empresa e não posso pagar um psicólogo particular, tenho tentado conseguir uma consulta no do convênio mesmo, acredito que vc conheça as burocracias de um convênio médico: passa no clínico, ele pergunta o que vc tem, vc pede guia para o psicólogo, ele te receita um fitoterápico prá dormir e diz q vc não está louco. Da último vez eu respondi: que eu não estou louca eu sei, mas o que vc não quer entender é que eu preciso falar com um psicólogo. Ele disse que precisaria de um motivo muito forte prá me dar encaminhamento... tentei adivinhar o que ele queria dizer com motivo muito forte, na hora respondi: ótimo, se é preciso eu me matar ou chegar perto disso prá vcs acharem que eu preciso de um psicólogo, e se depender disso partindo de mim para todos eles se alimentarem, vão todos mendigar, pq eu ainda tenho amor por mim mesma. Resultado... Acabo desabando nas palavras escritas. Acredito que seja uma forma de me vingar de situações pelas quais passo ou passei. Uma forma de falar calada, tudo o que se passa dentro de mim.
Quanto à sua intromissão, não se desculpe, é bom saber que alguém conversa comigo mesmo que de uma maneira platônica (rsssss). Seja intrometido, sempre, gosto de pessoas que especulam, que discutem, que debatem assuntos, e quanto a não ser nada meu, acredito que a partir desse momento, vc pode se considerar meu 'guru' (rsssss de novo), e se me permitir (mesmo sem permissão farei isso), esse e-mail tão particular será enviado para o blog.

beijos e se cuida...
Kika

***
mudando de assunto de novo:
essa sexta tenho hemodiálise (espero q seja a última, espero que quem leia isso até o fim, espere junto comigo que seja a última)...


musiquinha repetida, prá terminar...

A VIDA CONTINUA
Citação: A ESTRADA
Toni Garrido/ Lazão/ Da Gama/ Bino Farias

A vida continua/ Mesmo longe de
você/ Por mais falta que você me faça
Tudo passa/ Isso também vai passar
Vai passar/ Porque já não é amor
E sempre que for/ Pensar em você
Carinhosamente vou dizer/ A vida
continua/ Só nos resta, então, viver
Com mais liberdade e alegria/ Do que
eu tinha/ Quando estava com você
Com você/ Eu aprendi o que é o amor
E sempre que for/ Pensar em você
Carinhosamente vou dizer/ A vida
continua, a vida continua/ A vida
continua, a vida continua/ Você
não sabe o quanto eu caminhei...


Té mais

23 março 2005

Não

não...
eu não estou bem.
eu estou péssima.
estou desesperada.
estou entrando em crise existencial.
eu não tenho noção de quem eu sou.
e não adianta tentar.
a única pessoa que pode me ajudar sou eu mesma.
e eu estou mergulhada numa profunda melancolia para tentar fazer qualquer coisa nesse momento.
e não tem nada na minha frente.
e eu nem sei porquê estou escrevendo tudo isso.
alguns irão ler e pensar: dane-se.
outros terão pena.
o que ninguém entende é que estou farta de palavras.
estou farta disso que chamam de 'viver'.
não sei. não sei...

21 março 2005

Palavras ao vento

tá chovendo lá fora nesse exato momento...
e eu estou aqui da vidraça, vendo a chuva; e vendo chover dentro de mim...
*** Palavras Ao Vento Composição: Marisa Monte / Moraes Moreira
Ando por aí querendo te encontrar
Em cada esquina paro em cada olhar
Deixo a tristeza e trago a esperança em seu lugar
Que o nosso amor pra sempre viva
Minha dádiva
Quero poder jurar que essa paixão jamais será
Palavras apenas
Palavras pequenas
Palavras, momento
Palavras, palavras Palavras, palavras
Palavras ao vento
*** Post Editado...
Será que melancolia mata???

17 março 2005

Suícidio...

Seria suicídio se eu levantasse, derrubasse os lençóis e dançasse?
Os homens dançam enquanto dormem!
Enquanto caçam uma lembrança para transformá-la em virtual realidade.
Será que você entende?
Você que me escuta sem pluralizar minhas palavras?
Você, tão cuidadoso com seu dia, sem querer desperdiçá-lo com instantes...
Seria um milagre se eu revirasse as gavetas e encontrasse um sonho?
Onde eu pudesse cantar, exorcizar o silêncio...
Venha...
Venha dançar e acredite, ainda sei encontrar alguém e olhar dentro dos olhos dele!
Ainda...

14 março 2005

cansada...

fisica e emocionalmente... esgotada...

09 março 2005

Lamentos...

Não que eu queira reclamar...
Até porque, resumindo o que diz a Mari, odeio lamentações...
Como falei a alguns dias, estou vencendo a leucopenia sem precisar alertar ninguém naquela casa.
Tenho um trabalho legal, com patrões legais e colegas de trabalho idem.
Existem pessoas que são ímpares em minha vida, algumas que me ligam de dia, de tarde e de noite, e outras que mandam um simples oi, lembrei de vc e vim saber como está...
Essas coisas realmente me deixam muitíssimo feliz, principalmente por saber que se tratam de pessoas que não fazem isso apenas para a auto afirmação das próprias, ou por sentirem-se obrigadas à isso... Já tô falando bobagem de novo, né...
Não importa, porque mesmo enquanto brinco (com as amigas de minha irmã, de montar pirâmides de tampinhas vermelhas de coca cola e usar uma tampinha amarela como tiro para saber quem com um tiro derruba mais tampinhas vermelhas) e quando me acabo de rir com elas, mesmo nesses momentos, sinto um vazio dentro de mim, me sinto sozinha e entro em pânico.
Tenho medo desses momentos, pois por muitas dessas vezes se passam coisas absurdas dentro de mim.
E eu tenho medo de mim, e sinto raiva por ter medo, e sofro pela raiva que sinto, e choro pelo sofrimento.
P.S.: dia 11/03 tem diálise...
Espero que me perdoem por esse lapso de angústia.
Ele vai passar, eu sei...

06 março 2005

Parte Final DIAS IGUAIS. LUÍZA POSSI

Mesmo se quiser tentar, você nunca vai entender, porque tantas vezes eu chorei.
Mesmo se ela fosse lá, e o encarassee lhe explicase tudo de novo e quantas vezes ele lhe pedir. Ele nunca entenderia, nunca iria pensar que com seu silêncio, a fez chorar por muitos dias, sofrer de depressão por vários meses.
Mas se eu puder sonhar com um dia perfeito pra mim, vai ser tudo como imaginei.
Ela queria que todos os seus sonhos, ela e ele casados com seus filhos correndo no quintal da casa, e ela e ele assistindo sorridentes a cena.
Vendo seus filhos se sujando, brincando e correndo um atrás do outro, elaqueria que isso se torna-se realidade.
Já tentei esquecer, fingir que vai mudar, que com o tempo vai passar.
Ela tentava. tentava. tentava. mas não conseguia esquece-lo. como era lindo. aqueles olhos. aquele rosto.
Adorava o modo como ele afagava sua nuca, adorava quando ele ficava irritado consigo mesmo quando não conseguia colocar as coisas em ordem. É como ela o ama.
Mas é sempre igual, ninguém pode saber, o quanto eu penso e sinto por você.
Seus pensamentos eram para ele. totalmente voltados para ele. quando se deitava para durmi. não conseguia. ficava horas pensando, como seria se estivesse nos braços dele agora, sentindo os beijos deles, os toques dele.
Mas é sempre assim, tenho medo de dizer, que sem você aqui os meus dias são sempre iguais.
Os dias dela eram sempre ruins quando ele não estava pôr perto, sempre sem graça.
Eu só penso em você. Só penso em você. Já tentei esquecer, fingir que vai mudar, que com o tempo vai passar.
Ela só pensava nele. somente. e esse é apenas um dos motivos para discuções com seu sangue e seus demônios
** Flashback ** - presisamos conversar - disse o demônio quando ela chegava do trabalho
- O que foi ? - disse ela se sentando ao lado dele que estava sentado no sofá da sala onde moravam - Aconteceu algo com os meninos?
- Não, foi com você - disse o demônio encarando-a - Você ainda pensa nele?
- Ah isso de novo.- ela não sabia o que dizer- estou cansada, não quero mais falar.
- Vamos, fale logo não me enrole - disse ele se levantando, indo em direção a ela e passando a mão nos cabelos loiros e encaracolados dela - me responda pensa ou não pensa nele?
- Penso.- disse ela após um longo silencio, sabia que não adiantava tentar encanar-lo - Penso, muito, a todo momento, e penso mais ainda quando vc me lembra dele
- Então está sendo tudo em vão - o demônio virou-se para ela com os olhos com o mais puro ódio - Pôr que? Me diga - agora ele já estava sacudindo ela pelos ombros
- Pra te iludir e te usar para esquecer ele você já sabe que não foi, desde sua volta você nunca esteve aqui enganado, desde o começo eu avisei que nãopoderia amar você- disse ela chorando - o demônio a soltou e saiu da casa onde moravam, saiu batendo a porta com força. Ela ainda ficou ali chorando pôr algumas horas e depois de lavar o rosto, resolveu deitar-se.
E por algum tempo, o nome dele permaneceu intocado dentro daquela casa. O demônio pensava que voltando a morar junto com ela, faria com que ela o amasse, que isso ele conseguiria com o tempo e que com o tempo, ela esqueceria ele, mas isso só fez aumentar mais o amor que sentia por ele.
**Fim do Flashback**
Mas não consigo me enganar.
Ela não podia mais ficar se enganando com fez todos esse tempo. sabia: ainda AMA ele!
Mas é sempre igual. Tenho medo de dizer. Mas é sempre assim. Ninguém pode saber
Ela tinha medo. Descobriu ao longo desse tempo que não era uma simples paixão boba. Por que se fosse não teria resistido a essa ausência.
Ela o amava.
Eu só penso em você. Eu só penso em você. Eu só penso em você. Eu só penso em você. Eu só penso em você.

03 março 2005

Tudo normalzinho no reino do nada.

Recadinhos:
Hoje tive exame e consulta, cedo, às 07:30hs da manhã.
Algo bom tenho prá contar...meu sangue está 90% normalizado... mais duas diálises e bye bye braços roxos, tonturas, cama por 24 horas, falta de apetite, ânsia de vômito e tremor e o melhor, bye bye leucopenia...
Tenho percebido que os pelos do meu corpo e a leve penugem que tenho no rosto, estão crescendo menos e em menor quantidade.
Emagreci dois quilos, coisa q achei q não aconteceria (o único lado bom da diálise).
Ontem tive dores horríveis o dia todo, fiquei mal mesmo, meus colegas de trabalho me disseram que fiquei pálida (mais que o normal), mas eu não quis sair do escritório.
Mudando de Assunto:
Algumas pessoas aqui lembram ou já viram eu falar sobre "ELE".
Bom, "ele" está linkado aqui no meu cantinho.
É o último da lista, e antes que os mais afoitos saiam clicando lá, achando que se trata de um blog pessoal, aviso: além de se tratar de um blog de um escorpiano (sempre de poucas palavras), trata-se tb de um estudante de histórias, portanto, tirem seus cavalinhos da chuva pq não será desvendado nenhum segredinho dele por lá, mas para compensar, criou um personagem que para mim, qualquer semelhança com algum funcionário dele é proposital, rsssss.
Piadinhas à parte, o começo desse blog dele ficou prá lá de interessante, então prá quem tiver curiosidade e um tempinho sobrando, clica lá.
Beijos Té +

02 março 2005

Dias iguais... Luíza Possi

Olá...
Eu sei que ando escrevendo muito e me expressando pouco, nem todo mundo que entra aqui lê tudo o que eu escrevo, nem todos vêem necessidade de falar sobre o assunto.
Mas eu não me importo, pois o que eu pretendo com tudo o que escrevo é apenas desabafar...
Até porquê, como falei ontem à alguém: "Não converso com ninguém, pois não é fácil as pessoas entenderem quando tento explicar que perdi o amor da minha vida por ser obrigada viver debaixo do mesmo teto que meu ex marido..."
DIAS IGUAIS... LUÍZA POSSI
Se quiser me convencer, que tudo pode ser então, um bom motivo pra eu desistir...
E aqui está ela, sentada em uma confortável cadeira em sua sala na empresa, já passam das seis da tarde e ela não quer voltar para casa...
Sabe que tem uma família inteira esperando por ela...
Um demônio, teus pais e irmãos... mas seus pensamentos estão vagando em outro lugar...
Nessa época faz quase que que tinha perdido seu amor.
Se eu tiver que te dizer, tudo pode ser em vão, tudo que eu já sofri...
Ela sabia, ele estaria lá...
Ela tinha avisado aos pais que chegaria no horário...
Mas dele, quando a visse, teria a certeza que ele iria querer conversar com ela, tirar a limpo o que aconteceu no passado.
** Flashback** Eu te amo - dizia ela o tempo inteiro com o olhar...
Eles estavam num parque, ela sentada ao lado dele que estava eufórico com a reconciliação -
...- ele olhou nos olhos dela...
E ela, ficou perdida nos lindos olhos dele - ...Eu quero cuidar de mim, e de você...-
Mas ele nem teve tempo de concretizar nada.
Passou-se algum tempo e a situação dela em casa só piorava, foi quando ele simplesmente sumiu, sem deixar rastros.
Desde daquele dia ela não conseguiu falar com ele...
E mesmo se ela quisesse, não o faria...
Ficava evitando-o, já que moravam distante, e que ele tinha uma absurda falta de tempo, o que pelo menos servia de consolo para ela, que não teria que vê-lo.
**Fim do Flashback** Já tinham se passado meses sem que ela o visse...
Ele sempre a procurava mais ela não lhe correspondia... "Me escondo no meu muro feito de borracha, o qual o mais ligeiro impacto, destrói me desmoronando totalmente, carne osso e sentimentos" ela pensava...
Já tentei esquecer, fingir que vai mudar, que com o tempo vai passar...
Ela se voltou contra a família, saia sozinha, ia a festas e mais, resolveu que o responsável teria que pagar pelo passado, e que após o passado pago, iria buscar uma vida diferente, justamente para isso, justamente para esquece-lo.
mesmo ao lado do Demônio, nunca o enganou, era transparente em tudo, e o próprio demônio não ouvirá jamais de seus lábios que ela tivesse qualquer sentimento por um ser tão desprezível, não era de seu oficio fazer isso...
"tatuei um só nome em meus lábios..."
Mas é sempre igual, ninguém pode saber, o quanto eu penso e sinto por você
Mas...
Ele não a deixava em paz...
A perturbava em seus sonhos...
invadindo seus pensamentos...
tomando conta de sua alma...
Agora ela já não contem as lagrimas que caem livremente pelo seu rosto pálido...
Ela sabe, continuava a amar aquele homem...
Mas é sempre assim, tenho medo de dizer, que sem você aqui, os meus dias são sempre iguais...
Ela ama aquele homem...
Eles morando e trabalhando em cidades diferentes, em empresas diferentes...
Eles nunca se esbarravam, mesmo assim ela sentia sua presença e só de sentir sua presença já a fazia feliz, mas leve, mas viva...
Mesmo assim, às vezes, o dia dela se tornarna muito infeliz, tedioso e extremamente stressante...
Eu só penso em você...
Os pensamentos dela eram dele...totalmente e exclusivamente dele...
Continua...

01 março 2005

Pedido

Estou com dor de cabeça...

Sexta feira fiz um pedido aos meus protetores, ontem, Segunda feira, acho que em parte eles bem que tentaram me ajudar, mas acabei ficando mal, sem reação e acabo me sentindo mal sempre que peço e eles fazem em parte. Portanto, nada de meio pedido.
E a partir de agora, tudo o que eu quero, quero por completo.
Acho que é um passo que posso dar. E que já estou dando...

Algo que nem todos compreendem... :
Você não tem culpa nenhuma, o problema é comigo.
Sendo o problema comigo, não tenho força suficiente para brigar contra o amor que eu tenho aqui comigo.
E é por esse motivo que horas te falo, horas me sinto me bem, horas nem tanto, ainda não me livrei, nem sei se quero, mas também não quero ficar assim, do mesmo jeito que não quero falar contigo e ao mesmo tempo sinto falta quando não falo.
Queria poder explicar isso, mas nem isso eu consigo...

Sexta durante a diálise eu fiquei bem, o pior veio depois.
Passei muito mal, à noite já em casa, e para não dar bandeira da diálise para meus demônios, joguei minha familiar enxaqueca como desculpa.
Fiquei tão mal que sábado já em Caraguá, com todo aquele sol nem me mexi para ir até a praia; fiquei o dia todo de cama.
Mal me alimentei e ainda acabei tomando dois cefalium e uma apirina, porquê ai sim, veio realmente a enxaqueca.
Porém domingo eu já acordei disposta, oito horas da manhã eu já estava de pé, de biquíni e canga, toalha e protetor solar e uma garoa me esperando na porta...
Sinceramente pensei que não faria sol, mas tive uma deliciosa surpresa e voltei para casa com alguns indícios de que havia rolado praia esse fim de semana.

25 fevereiro 2005

eu queria saber pq existem pessoas tão mesquinhas, covardes e egoítas na minha vida... (alteração/inclusão no post) e ainda faz questão de se manter presente...
tisc tisc tisc....
p.s.: caso eu não responda o msn, vc já sabe pq foi...
e caso eu responda, foi só para não ser mal educada!

22 fevereiro 2005

Bobeiras...

Hoje acordei boba, risonha, mesmo tendo um demônio ao pé da cama, e vários ao meu redor.
Acordei me sentindo leve, querendo sentir o ventinho da manhã tocando meu rosto.
Vontade de colocar logo a pele debaixo do Sol e ter a sensação do calor entrando pelos meus poros.
Hoje coloquei os pés no chão fresco de casa, alimentei e brinquei um pouco com a Nina, que miava enquanto se roçava nas minhas pernas pedindo atenção; fiz com que ela corresse todos os comôdos da casa desenfreadamente, enquanto sentia meu coração bater desesperadamente por algumas palavras sem significados.
Hoje pedi aos meus anjinhos e ninfas, que me dessem o presente de ouvi-lo; que não precisaria ser hoje, mas, que necessito ouvi-lo de alguma forma, algum dia desses... Nem que fosse para não perdoar (até porquê não tenho esse dom...), mas simplesmente para sentir sua voz, ecoando vazia e oca dentro da minha cabeça e do meu coração. Hoje dei bom dia à rua, às casas e às pessoas silenciosamente, e, cantando silenciosamente, segui meu caminho até meu local de trabalho, que é onde estarei, até às dezessete horas, vendo as pessoas rirem e gritarem, num departamento onde sou a única mulher e justamente onde o dono do grupo das empresas fica, o dia todo, perguntando-me o que estou fazendo...
Mesmo com as coisas tristes e intrigantes do dia a dia, estou aqui, estou me sentindo bem, e particularmente hoje, me sinto feliz e sei que minha vida é feita de momentos, e também sei que sou eu quem decido quais momentos serão realmente eleitos por mim para virem à tona. Sei que tudo que estou falando pode parecer bobeira.
Mas é assim que me sinto; boba e risonha... P.S.:Hoje é dia de diálise, já estou tremendo só de lembrar da última vez, à quinze dias atrás... Beijos e bom fim de semana...

17 fevereiro 2005

sumiço...

essas últimas duas semanas tem sido meio diferentes, corridas eu diria... e 'algumas' pessoinhas tem me 'cobrado' sobre minha presença tanto no messenger, quanto via telefone, quanto pessoalmente. enfim, se pudéssemos agradar a todos, não haveria necessidade da grécia ter dado um 'presente' (rsssss, adoro isso!) para tróia.

estou muitíssimo feliz profissionalmente, obrigada. como a maioria sabe, fui promovida e 'acidentalmente' deslocada de setor, em menos de seis meses de registro em carteira.

nem era para eu estar tão feliz né mesmo? -_- ... claro que era, aliás, claro que é... motivo de sobra para comemorar essa área tão disputada que é a profissional... afinal:

->pago minhas contas

->compro o que quero, quando me sobra um $$$

->guardo um bocadinho para um caso de desordem viajante (leia-se: fugas para praia, sitío ou clube)

->guardo mais um bocadinho para que logo, logo, eu possa ter um cafofo que eu possa dizer: "é só meu... ^-^

Que mais eu posso querer??? :)

P.S.: Estou com medo de mim mesma!!!

Isso não é bom... té mais