16 novembro 2006

Da lealdade...

Num ambiente de trabalho se ouve a seguinte conversa:
"-É fato, Leilinha, homens traem, inclusive eu...
-Nossa, Atílio, mas de você eu não esperava isso (responde Leila, recem casada, mãe de um bebe de cinco meses, subordinada de Atílio, um homem de respeito, bem casado e super rigoroso)
-Assim, Leilinha, por mais que o homem tenha uma mulher linda, cheirosa, produzida só prá ele e por mais que ele a ame, não tem jeito, isso vem da espécie, vem da masculinidade, entende?
-Mas Atílio! O Renê não me trai,tenho certeza!
-Ah trai, Leilinha, trai sim, todo homem trai, seja por telefone, seja na internet, seja por pensamento, e não tem aquele negócio de "ahhhhhh, essa conversinha no telefone é inocente, não passa de tele-sexo..." não é... Nós homens sabemos que se houver "oportunidade" aquela conversinha boba no telefone vira cama sem sombra de dúvidas.
-Mas Atílio!? E se fosse a Diana de sacanagem no telefone, ou fazendo um sequisozinho virtual assim, inocente???
-Ahhhhhhhhhhh não Leilinha, a Diana não.
-Ah é? Olha isso, então você pode e a Diana não? Mas eu tô ficando "mole" mesmo... Olha Atílio, de hoje em diante só quero papo contigo sobre assuntos profissionais, estou decepcionada contigo. Onde já se viu, a era do machismo já acabou e se um dia eu sonhar que o Renê me trai seja lá por um inocente tele sexo ou por um sequisozinho virtual, ele me paga..."

Conclusão:
Concordo com a Leilinha, em genêro, número e grau...
E tenho dito!

Um comentário:

Redd disse...

isso aí!!!

tem homem q se acha dono da razão e ainda generaliza! acha q se ele faz algo, todos os outros fazem tb! humpf!