06 outubro 2006

As quatro loucuras...

Eu já contei que passei alguns meses na casa de meus pais no litoral norte entre o fim do ano passado e o começo deste ano...
Eu tb já contei que li muita coisa, muita mesmo, algumas muitíssimo boas e outras totalmente depressivas.
Descobri no meio dos bons achados Roberto Shinyashiki, adorei tudo o que li sobre as teorias dele.
Hoje vagando pela internet, descobri que a revista Isto É publicou uma excelente entrevista com ele, médico psiquiatra, com Pós-Graduação em administração de empresas pela USP, consultor organizacional e conferencista de renome nacional e internacional.
Uma das perguntas desta entrevista, e a respectiva resposta, você verá a seguir. Medite sobre ela.
Muitas pessoas têm buscado sonhos que não são seus, isso é verdade?
A sociedade quer definir o que é certo. São quatro loucuras da sociedade:
A primeira, é instituir que todos têm de ter sucesso, como se ele não tivesse significados individuais.
A segunda loucura é: Você tem de estar feliz todos os dias.
A terceira é: Você tem que comprar tudo o que puder. O resultado é esse consumismo absurdo.
Por fim, a quarta loucura: Você tem de fazer as coisas do jeito certo. Jeito certo não existe. Não há um caminho único para se fazer as coisas.
As metas são interessantes para o sucesso, mas não para a felicidade. Felicidade não é uma meta, mas um estado de espírito.
Tem gente que diz que não será feliz enquanto não casar, enquanto outros se dizem infelizes justamente por causa do casamento. Você pode ser feliz tomando sorvete, ficando em casa com a família ou amigos verdadeiros, levando os filhos para brincar ou indo a praia ou ao cinema.
Quando era recém-formado em São Paulo, trabalhei em um hospital de pacientes terminais.
Todos os dias morriam nove ou dez pacientes. Eu sempre procurei conversar com eles na hora da morte. A maior parte pega o médico pela camisa e diz:
"Doutor, não me deixe morrer. Eu me sacrifiquei a vida inteira, agora eu quero aproveitá-la e ser feliz". Eu sentia uma dor enorme por não poder fazer nada. Ali eu aprendi que a felicidade é feita de coisas pequenas.
Ninguém na hora da morte diz se arrepender por não ter aplicado o dinheiro em imóveis ou ações, ou por não ter comprado isto ou aquilo, mas sim de ter esperado muito tempo ou perdido várias oportunidades para aproveitar a vida.
Todos, na hora da morte dizem se arrepender de ter esperado muito tempo ou perdido várias oportunidades para aproveitar a vida.
Pense.... medite....
Alguma coisa parece semelhante em tua vida?

3 comentários:

Redd disse...

Olha, não costumo ficar muito preocupada em aplicar dinheiro em ações, ou em comprar muitas e muitas coisas. Até que eu acho que nesses quesitos, eu ajo do jeito certo...

O problema é que quando leio esse tipo de coisa, me dá um medo de não aproveitar a vida direito e chegar ao fim dela com a sensação de que devia ter feito mais coisas... Acho que isso é QUASE inevitável, né... Mas ando tentando dar o melhor de mim pra não ficar como os pacientes desse médico...

Muito bom o post...

Mariana disse...

Amei seu Post. Totalmente verdadeiro. Aproveite bem a semana :)

Julis disse...

"Felicidade não é uma meta mas um estado de espírito"
Concordo plenamente com essa frase, adorei o post Cris...
Estou com saudades suas mulher!