23 novembro 2011

Longe de Casa

Este post servirá de desabafo, essa é a única intenção do mesmo...

Estou a quase 36 horas longe da minha casa, do meu marido e do meu filho.
Não foi uma escolha minha, ou de outra pessoa; meu filho está om catapora e como eu nunca tive e estou grávida, por decisão médica, preciso ficar afastada do meu filho.
A sensação que tenho é de profunda tristeza, beirando o desespero, por não poder cuidar do meu pequeno quando ele precisa de mim por perto.
Sei que ele está sendo bem cuidado, pela avó parterna e pelo próprio pai, mas mesmo assim, me sinto machucada por dentro, e do momento em que comecei a digitar esse post, até esse momento, brotaram lágrimas dos meus olhos 4 vezes.
A saudade do meu filho, que não vejo desde o último dia 11 é gigante... E a saudade que sinto do meu marido, se completa nessa imensa tristeza.
Sei que em nada ajuda ficar nessa aflição. Mas eu não mando nos meus sentimentos e essa distância está acabando comigo, eu me sinto sem força nenhuma. Sem utilidade nenhuma...
Não posso cuidar do meu filho. Não posso ir para casa ficar com ele e com meu marido.
Está bem difícil, eu até arriscaria dizer, insuportável...

(Confesso que comecei a escrever este post na quinta feira a tarde, dia 17/11/2011, mas entrei em desespero e não tive mais coragem de voltar aqui até agora, nosso 12º dia afastados e embora já esteja chorando novamente, resolvi pública-lo...)

Hoje, estou ligada no "piloto-automático", mal ouço o que me falam, peço para repetirem perguntas, esqueço as coisas mesmo tendo anotadas... Não tenho dado atenção que merecem às minhas amigas lindas (isso inclui você Vanessa)... Não tenho vontade de falar com ninguém, não tenho vontade de comer (frutas eu ainda dou conta, principalmente a noite). Enfim, está bem difícil...

Complementando: Por mais que falem "ser necessário", que dó, que triste, "é para seu bem e do nenê", "você precisa se manter firme" e o monte de "eu te entendo" que tenho ouvido todos esses dias. Ninguém sabe o que estou sentindo, a não ser que tenha passado pelos tristes dias de estar longe do próprio filho que está doente e precisa da sua presença, sendo que você não pode cuidar dele para não ser "contaminado"...

Essa é a parte difícil, se colocar no meu lugar, ou no lugar de alguém na mesmissíma situação que eu...

Só quero voltar para casa, e para meu filho...

Um comentário:

kassyane lopes :p disse...

quando pensares que o mundo não tem nada a te oferecer alem de dores e frustações lembre-se que existem coisas boas na vida
- ja esou te seguindo passa la no meu blog
http://coisasboasdavida-kahlopes.blogspot.com/